Shibari – A arte Japonesa de amarração

Feb 12 , 2020

Shibari consiste na arte japonesa de bondage consensual que significa “amarrações bonitas”.

O Shibari é ideal para quem gosta de tornar o sexo mais dominante, ou submisso, sendo que o amarrado é quem tem o controlo do que quer e como quer.

Shibari é um tipo de bondage, que envolve técnicas de amarração usando cordas de fibras naturais e diferentes tipos de nós, usando a estética como aliada.

Os nós, além de firmes e seguros, devem ser bonitos e harmoniosos. Porém, através das cordas é possível promover troca de energia, sentimentos e prazer entre os envolvidos. Atualmente, o shibari faz parte dos preliminares no ato sexual, principalmente para os adeptos de BDSM.

O Shibari não se aprende de forma leviana e rápida, é um processo longo. No entanto, deixamos algumas dicas para iniciar.

 

  1. Porquê experimentar o Shibari?

O Shibari permite que o casal se conecte com o seu lado mais íntimo e vulnerável. As sensações e emoções que podem ser sentidas por quem pratica são surpreendentes desde prazer através de fricções e pontos de pressão a restrições de movimentos, vulnerabilidade e uma ligação emocional mútua.

 

  1. Confiança

A "consensualidade" é das partes mais importantes na prática do Shibari. O casal deve ter total confiança um no outro, garantindo assim, um ambiente controlado e uma sessão totalmente segura.

Portanto é desaconselhado o consumo de álcool ou qualquer outro tipo de entorpecente por ambas as partes, uma vez que é preciso entender e respeitar os limites um do outro.

Quem domina deve cuidar de quem está a ser dominado e ambos devem determinar os seus limites. É o dominado que decide os limites de tempo, força aplicada e bem-estar geral.

  1. Processos de amarração

O processo de amarração do Shibari tem várias etapas:

  • Imobilização do tronco
  • Zona de nádegas e barriga
  • Fixação do corpo na sua totalidade

 Existem algumas técnicas para praticar o Shibari:

  • Ushiro: mãos amarradas atrás das costas

  •  Hishi: amarração que cria formas de diamantes

  •  Matanawa: A corda é colocada principalmente nas áreas genitais.

  • Takate-kote: a clássica amarração no tronco

  • Tsuri: todas as suspensões

  • Gote Gasshou: Mãos nas costas em posição de oração.

 

  1. Vamos simplificar!

O verdadeiro Shibari parece muito complicado…e é! Por isso vamos começar de forma simples.

Comece com uma amarração simples e, caso não tenha cordas naturais e suaves, utilize lenços ou echarpes de algodão macio. Inicie a prática com a amarração das mãos por de trás das costas: Ushiru, com apenas 1 ou 2 nós. Enquanto efetua as amarrações beije o seu parceiro/a e torna o ato ainda mais sensual.

Por último, deixe-se levar pelo prazer da constrição e da pressão ou da dominação.

 

  1. Precauções e Dicas de Segurança

Para praticar o Shibari será necessário um estudo da anatomia humana já que nós mal posicionados podem cortar a circulação sanguínea ou provocar oscilações na pressão sanguínea bem como causar dor ou desconforto.

Dicas de segurança:
  • Use apenas cordas de fibras naturais.
  • Evite o pescoço, áreas muito macias, dobras do corpo como joelho, cotovelo e articulações.
  • As cordas devem passar por cima ou por baixo dos seios, nunca em cima deles.
  • Verifique o condicionamento físico e se necessário, faça alongamentos para evitar cãibras e contusões.
  • Pare imediatamente se ocorrer mal-estar, formigueiros, calafrios, asfixia, enjoo ou hiperventilação.
  • Tenha uma tesoura à mão para soltar rapidamente as cordas em caso de necessidade.